domingo, julho 27, 2008

Parabéns pá!

O Prémio Camões é referente ao ano passado, mas foi-lhe entregue na sexta-feira passada nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos. Mais um post dedicado a Lobo Antunes que tanto admiro.

3 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Tive uma professora que adorava o homem!

Sorrisos em Alta disse...

Em vez dum troféu, os premiados não deviam andar com uma pala no olho um ano inteiro???

Abraço

Brise disse...

Na minha opinião, o Lobo Antunes é o maior escritor vivo. Mas gostava mais dele quando recusava os prémios e guardava os que aceitava na casa de banho. Aparentemente facilitavam-lhe o trânsito intestinal.

Não resisto a deixar aqui uma citação dele, em resposta a algumas provocações surgidas em comentário ao meu último post:
"Quando vou a França, ficam surpreendidos por tudo o que li e por recitar os seus clássicos de memória. O que não sabem é que o que conheço melhor são os corredores da Volta a França ou a vida de Ocaña e Bahamontes.

O ciclismo interessa-me muito, adoro. Um dos meus sonhos era escrever sobre uma volta de ciclismo. A Volta a França ou a Volta a Portugal. Falei com ciclistas, contaram-me o sacrif+icio que têm de fazer e creio que são personalidades muito curiosas. Gostaria de fazer a Volta..."

in Maria Luisa Blanco, Conversas com António Lobo Antunes